terça-feira, 14 de junho de 2011

psyché logos | O ESTUDO DA ALMA

A Psicologia no ocidente teve início a cerca de 2.000 anos através dos gregos e se desenvolveu até a diversidade com que existe hoje. Nesse sentido, é indispensável para a compreensão da psicologia um conhecimento mínimo sobre a sua história.

O grande desenvolvimento econômico pelo qual passou a Grécia em seu período áureo na Antiguidade permitiu que os cidadãos gregos se ocupassem do desenvolvimento espiritual, da arte e da filosofia. Alguns cidadãos, como Platão e Aristóteles, passaram então a se preocupar com o Homem e com a sua interioridade. É entre os filósofos gregos que surgem as primeiras tentativas de sistematizar uma psicologia.
           
O mundo existe porquê o homem o vê ou o homem vê um mundo que já existe?

Idealista
- A idéia forma o mundo! bolas...
Materialista
- A matéria que forma o mundo é dada para nossa percepção, animal!

É com Sócrates que a Psicologia passa a ganhar consistência, preocupando-se em diferenciar o homem dos demais seres através da razão. O próximo passo foi dado por Platão, discípulo de Sócrates, que buscou definir um lugar para a razão em nosso corpo: na cabeça estava a nossa alma, a medula conectava nossa alma ao nosso corpo. Platão concebia a alma como separada do corpo humano. Aristóteles, discípulo de Platão, ganhou notoriedade ao postular que alma e corpo são indissociáveis, para ele, a psyché era o princípio ativo da vida, assim, todos os seres vivos possuíam uma alma, mas o homem possuía um segundo nível, a alma racional.
- Da anima



Fonte de pesquisa:
Bock, Ana Mercês Bahia.
Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia / Ana Mercês Bahia Bock,
Odair Furtado e  Maria de Lourdes Trassi Teixeira. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário