terça-feira, 14 de junho de 2011

Psicologia na Idade Média e no Império Romano: O CRISTIANISMO

O Cristianismo se desenvolveu durante a Idade Média e o Império Romano, se caracterizando como uma força religiosa e política dominante durante esse período.

A produção acerca da Psicologia durante a idade média é indissociável do conhecimento religioso, levando em conta que a Igreja Católica dominava também a produção de conhecimento na época. Nesse sentido, merecem destaque dois grandes filósofos desse período: Santo Agostinho e São Tomás de Aquino.

Santo Agostinho, influenciado por Platão, pregava uma cisão entre alma e corpo, mas acreditava também que a alma não era apenas a sede pela razão, mas também uma parte divina existente no homem, ela era imortal e o ligava a Deus.
São Tomás de Aquino buscou em Aristóteles a distinção entre essência e existência, considerando que o homem em sua essência busca sempre pela perfeição em sua existência, introduzindo a idéia de que essa busca era, na verdade, a busca por Deus, o único capaz de unir essência e existência. São Tomás de Aquino, devido a conjuntura dos tempos em que viveu, buscou argumentos racionais para justificar os dogmas da Igreja Católica.

Curiosidades que valem muito a pena ser vistas :)
http://www.escribacafe.com/o-imperio-romano/


Fonte de pesquisa:
Bock, Ana Mercês Bahia.
Psicologias: uma introdução ao estudo de psicologia / Ana Mercês Bahia Bock,
Odair Furtado e  Maria de Lourdes Trassi Teixeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário